Postagens

Os pilares da terra - Mesa do editor

Imagem
Sabe aqueles épicos, cheios de intriga, romance, ação? Pois é, tá aqui um belo exemplar. Com vocês, na mesa do editor hoje:

- Os pilares da terra (Ken Follet).

Vamos mergulhar no mundo medieval. A trama se passa no século XII, em terras inglesas (e uma parte na França), e os eventos giram em torno da construção da catedral de Kingsbridge. O autor nos coloca a acompanhar os passos da família de Tom Construtor, um mestre pedreiro que, em função das dificuldades típicas do seu ofício, precisa se deslocar de cidade em cidade, buscando canteiros de obras pra trabalhar. Seu maior sonho: construir uma catedral. É acompanhado pelos filhos e pela esposa grávida.

A trama nos apresenta outros personagens: o padre Phillip, ingênuo no início da história, mas que aprende as regras do jogo no decorrer dos eventos; o ambicioso Waleran Bigod, sedento por poder, sem medir limites para alcançá-lo; Ellen, a "bruxa", mulher sábia, conhecedora das propriedades da natureza, que é perseguida pelos c…

Fate Stay/Night na mesa do editor.

Imagem
A mesa do editor traz hoje um misto de fantasia, rpg e história antiga e medieval. E tudo isso em uma série fantástica de mangás:

- Fate Stay Night (Type-Moon, distribuído no Brasil pela Panini Comics)
De tempos em tempos, a Guerra do Santo Graal acontece na cidade japonesa de Fuyuki. Essa guerra consiste no embate de 7 magos, que recebem do Graal uma marca/selo e o poder de invocar um espírito heroico do passado (e do futuro também, como descobriremos depois). Esses fantasmas de grandes guerreiros retornam ao presente na forma de servos de cada mago, que irão disputar a posse do Santo Graal mediante batalhas.
Nesse ínterim, o pacato Shirou Emiya segue seu dia-a-dia no colégio da cidade, vivendo a vida de uma adolescente comum. No entanto, apesar do marasmo de sua vida, ele esconde um pequeno segredo: ele estuda magia. Órfão desde muito cedo, foi adotado por um mago que permitiu que Shirou aprendesse algumas técnicas. Por não ser um mago desde nascença, seu único poder mágico é o de id…

Projeto de lei autoriza destruição de documentos originais após digitalização

O Senado aprovou o projeto de lei do senador Magno Malta que autoriza a destruição de documentos originais em papel após a digitalização certificada. Isso é uma coisa que está arrepiando todo mundo que gosta de história e que luta pela preservação da nossa memória. O relator da proposta, senador Armando Monteiro, explicou que a manutenção dos arquivos de papel custa caro e exige investimentos permanentes. O projeto segue agora para análise da Câmara dos Deputados. DISPONÍVEL EM: http://cbn.globoradio.globo.com/media/audio/96379/projeto-de-lei-autoriza-destruicao-de-documentos-o.htm

Victor Hugo, o homenageado de hoje do Google.

Imagem
Victor Hugo: advogado dos miseráveis
Sua vida e obra estão marcadas por seus ideais de liberdade e justiça social, que também defendeu na política



Victor Hugo nasceu em 26 fevereiro de 1802 na cidade de Besançon (França). Poeta, dramaturgo e romancista francês, é considerado um dos autores mais importantes da língua francesa e também um político e intelectual muito comprometido e influente na história de seu país e da literatura do século XIX.
Victor Hugo, por causa da profissão militar de seu pai, viveu em várias cidades francesas em sua infância, como Elba, Marselha e Nápoles. Quando seu pai acompanhou o novo rei José I (o famoso Pepe Botella – Pepe Garrafa, no apelido depreciativo), irmão de Napoleão Bonaparte, até a Espanha, o jovem Victor Hugo chegou a Madri, onde morou por dois anos.

'Mande mais vinho', diz placa de 2 mil anos desvendada por cientistas.

Imagem
O autor da ordem foi o soldado hebreu Hananyahu, que escrevia para seu amigo Elyashiv, no ano 600 a.C. na região que hoje conhecemos como Israel. O recado estava atrás de uma peça descoberta em 1965. Os arqueólogos, porém, só haviam se dedicado a traduzir a parte da frente dela.

Agora, pesquisadores da Universidade de Tel Aviv, em Israel, descobriram a mensagem no verso do material, onde a tinta estava invisível. Utilizando tecnologia multiespectral, eles revelaram três linhas ocultas. Suas descobertas foram publicadas no periódico PLoS One.

O óstraco foi achado em um local antes conhecido como a fortaleza de Arad, uma parte do reino de Judá — o império foi destruído em 586 a.C pelo babilônios liderados pelo rei Nabucodonosor.

Além do pedido por vinho, Hananyahu também informa a seu amigo que vai ajudá-lo no que for preciso, faz uma referência a uma commodity desconhecida e comenta mais uma vez sobre bebidas alcoólicas. Apesar das descobertas, a pergunta que os pesquisadores ainda não fo…

Entre a história e a memória

Imagem
A articulação entre esses dois processos possibilita a formação de representações e valores pelos alunos e a produção de sentidos e significados


Por Ana Maria Monteiro Mestre em história e doutora em educação, é professora da UFRJ


Se falamos da sala de aula, a relação entre história vivida e história conhecimento é ainda pouco problematizada. Parece que ainda nos encontramos no tempo em que as duas noções não eram percebidas como processos diferentes. Em decorrência disso, é comum ouvirmos a concepção de que a história ensinada é a história vivenciada.
A confusão se aprofunda quando se afirma, de forma bastante genérica, que “basta saber história para ensinar história”. Mas que “história” é essa que se “sabe” ao ensinar?

Um grito de Justiça!

Imagem
Artigo de Joyce Oliveira Pereira.



Filme: Daens, um grito de justiça. Favourite Films, Films Dérives, 1993,138 minutos.
O longa metragem se ambienta na região dos países baixos, Bélgica, Holanda mantendo contato com a França, por isso é notório a diversidade de línguas faladas durante o filme todo. Pode-se destacar aqui a língua francesa como característica da fala da burguesia enquanto os proletários são falantes do flamengo, língua neerlandesa falada da Bélgica, pertencente ao grupo étnico dos flamengos, que historicamente são pertencentes à atual região de Flandres.