Zygmunt Bauman - Identidade




Ele já nos deixou, mas sua obra permanece urgente. Estamos falando de Zygmunt Bauman, e na mesa do editor de hoje, falaremos sobre o livro "Identidade".

Quem somos nós? A pergunta, aparentemente, é fácil. Mas, quais critérios usamos para essa identificação? Bauman busca refletir sobre essa problemática dentro de outra: o mundo líquido moderno.

E o que é um mundo líquido? Bauman observa que a sociedade contemporânea acelerou seu ritmo de vida, em vários aspectos. Os valores tornaram-se fluídos dentro de um mundo em que a novidade é mais importante que a base. A globalização, lógico, tem sua grande parcela de importância nisso, a partir do momento que aproximou culturas as mais variadas possíveis. A conectividade típica das últimas décadas também trouxe à tona modelos antes inacessíveis a tantas pessoas. Instagram, Facebook e Twitter acirraram ainda mais esse processo, aproximando e chocando visões de mundo tão distintas.

Dentro desse contexto, a liquidez é necessária: valores, conceitos, estilos, tudo em nossa vida precisa ser fluído, tal qual as águas de um rio que passam, e nunca são as mesmas. Os amores, líquidos, são urgentemente rápidos e "eternos enquanto durem".

É aí que o indivíduo forma sua identidade, diante de toda essa fragmentação da vida.

Convite feito: conheçam essa obra fantástica!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livro - "A vida Verdadeira de Domingos Xavier", de José Luandino Vieira

Educação doméstica X Educação escolar no Brasil: desafios, conflitos e perspectivas.

Filme - A Vida é Bela.